Secretário explica atrasos na nomeação de concursos públicos em Pernambuco

Segundo Ricardo Dantas, a convocação depende da necessidade do Governo e do tempo de validade do concurso; remanescentes do último concurso do Corpo de Bombeiros devem ser nomeados na próxima semana

Da Redação do pe360graus.com

Em busca de estabilidade no emprego a opção de muitos trabalhadores é fazer um concurso público. Mas alguns pernambucanos estão apreensivos: viram a publicação de seus nomes na lista de aprovados, mas, até agora, não foram chamados pelo Governo, para diferentes funções. Para responder a essas dúvidas, o Bom Dia Pernambuco convidou o secretário de Administração do Estado, Ricardo Dantas (foto), que antecipou os prazos para nomeação de alguns concursos.
Os remanescentes do último concurso da Polícia Militar de Pernambuco, realizado em 2009, esperam a convocação de mais de dois mil policiais, prometida pelo secretário Wilson Damázio. Segundo Ricardo Dantas, todas as vagas do edital foram nomeadas em janeiro deste ano. “Foram nomeadas 2,1 mil pessoas para o cargo de soldado da PM, assim como 400 agentes de polícia. Nomear além dessas vagas envolve algumas variáveis, como o equilíbrio fiscal do Estado. Não dá para sair chamando todo mundo que foi aprovado. O Governo vai suprir dependendo da necessidade”, esclarece o secretário.
De acordo com ele, foram nomeados para o Corpo de Bombeiros o dobro do número de vagas do edital. “Nesse caso específico, o Governo vai fazer a nomeação dos remanescentes do concurso, tendo em vista que o concurso expira agora, no final de agosto. Interessa ao Governo aproveitar essas pessoas e essa nomeação deve estar saindo, no máximo, até a próxima semana”, afirma.
Um grupo de engenheiros agrônomos e fiscais da defesa agropecuária da Adagro publicou uma carta aberta na internet dizendo que foi feito todo o processo, mas que a nomeação, que ocorreria em setembro de 2010, ainda não saiu. Segundo o secretário, uma lei impede a nomeação em ano eleitoral. Ele explica que, assim como a Adagro, as outras agências de fiscalização – a Apevisa, a Apac e o CPRH – estão passando por um processo de reestruturação e de criação de planos de carreiras.
“O projeto de lei que vai reestruturar essas carreiras vai ser enviado ainda este mês, incluindo o aumento de 2011. Para, só então, após a aprovação dessa lei, haverem as nomeações necessárias para a Adagro e para as quatro agências de fiscalização em Pernambuco”, esclarece.
De acordo com ele, a remuneração média do servidor público aumentou 53%, nos últimos quatro anos. “Em 2007, Pernambuco cresceu 9,6%, enquanto o Brasil cresceu 7,2%. Este ano, no primeiro semestre, Pernambuco cresceu 7,6% e o Brasil, 4,2%. As pessoas querem fazer parte de uma gestão que cresce economicamente e que valoriza o servidor”, diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *