A forma inteligente de bater em Lula

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) exerce o seu mandato com coerência, firmeza, responsabilidade e liderança. É no seu partido, hoje menos isolado do que antes, uma das figuras mais respeitadas e creditadas, principalmente pela mídia. Ontem, por exemplo, ocupou uma página inteira numa entrevista ao jornal O Globo, na qual mostra seu pensamento em relação à faxina que a presidente Dilma vem fazendo, mas com a preocupação nítida de apresentá-la com uma imagem bem diferente da de Lula.

O ex-presidente, aliás, é o principal foco dos ataques do senador quando se refere à corrupção. “A corrupção sempre existiu, diz ele, para acrescentar: “Só que Lula foi benevolente. Lula foi eleito em 2002 em cima de duas bandeiras, de duas pernas: uma perna que era a da ética e outra que era a das mudanças. Não promoveu mudanças e deixou a ética de lado”.

Jarbas, que amanhã completa 69 anos de idade, previu um conflito entre o criador – Lula – e a criatura – Dilma – na eleição presidencial de 2014, achando que a presidente será candidata à reeleição enfrentando Lula, que já está em campanha. “Lula quer voltar e acho que Dilma está querendo criar um estilo próprio. Mais cedo ou mais tarde eles vão se atritar, porque dá para perceber que existe um mundo de contradição entre ela e ele”, diz.

Em Brasília, Jarbas se integrou a Frente Suprapartidária de Combate à Corrupção e à Impunidade e tem sido uma das vozes mais ouvidas, porque, apesar de oposição, nunca deixou, em nenhum momento, de apoiar a presidente Dilma no sentido de ampliar a faxina. Jarbas é sabido. Ele sabe que quanto mais Dilma varrer a sujeira mais vai respingar no ex-presidente Lula, conivente com a ladroagem.

NEUTRALIDADE DE FACHADA– Deu na coluna Holofote, da revista Veja: “Dilma Rousseff decidiu que o Governo vai apoiar a candidatura do deputado federal Aldo Rebelo, do PCdoB paulista, a ministro do Tribunal de Contas da União, em eleição no fim de setembro na Câmara. Mas a presidente desistiu de explicitar esse apoio ao constatar que o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), não aceitaria retirar o nome de sua mãe, a deputada federal Ana Arraes (PSB-PE), da disputa. Oficialmente, o Planalto se manterá neutro. Nos bastidores, porém, se empenhará para eleger Aldo.

Estradas de barro – A população do Sertão do Pajeú está com uma pulga atrás da orelha com as obras de restauração das estradas que interligam a região, principalmente a PE-292, que liga Afogados da Ingazeira a Sertânia. É que, até o momento, não apareceu nenhum sinal de instalação de uma usina de asfalto, enquanto predomina o barro em todos os trechos recapeados.

No rastro da podridão – A cada dia que se passa mais cabeludo fica o escândalo no Ministério do Turismo, que levará, inexoravelmente, o ministro Pedro Novais a cair fora do Governo. Ele pagou R$ 187,5 mil à Fundação Universa para elaborar uma página de relatório. A grana daria para comprar sete carros populares. A descoberta foi feita pela Controladoria Geral da União – CGU. Uma vergonha!

Jatinho da vergonha – O novo ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, sequer tomou posse, mas já está na berlinda. Segundo a revista Veja, ele usou R$ 10,5 mil da sua cota de deputado federal para fretar um avião de Porto Alegre a Horizontina, no interior gaúcho. Com um detalhe: o voo foi em abril, período em que estava licenciado da Câmara para tratamento de saúde.

Pediu por corrupto – A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, também entrou no bombardeio da mídia. Foram descobertas gravações da polícia mostrando que quando ministra da Pesca negociou cargos no DNIT e lutou para manter um dirigente acusado de várias irregularidades. As conversas da ministra foram com o presidente do PR, preso por pedofilia

Blog do Magno Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *