Sindicato dos Metalúrgicos e Estaleiro entram em acordo e acertam manutenção das atividades

Representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de Pernambuco (Sindmetal) e do Estaleiro Atlântico Su (EAS) ficaram reunidos até as 21h de ontem e acertaram a manutenção das atividades do empreendimento. O presidente do Sindmetal, Alberto Alves, disse estar satisfeito com o resultado: das 16 pautas em questão, 15 foram acertadas pelas partes – entre eles, estabilidade para a comis­são, assistência médica e pagamento do dia parado, na última quinta. Apenas o pedido de folga de campo (quando trabalhadores de fora descansam em seus estados de origem pa­gos pela empresa) não foi acordada.
Segundo Alves, na segunda, a comissão de trabalhadores vai levar o acordo para a categoria, em uma reunião interna. Ele disse também que na terça começam as negociações salariais. Por ora, os metalúrgicos reivindicam 22% de aumento, 150% do valor da ho­ra extra e R$ 300 de cesta básica.
No início da tarde, o Ministério Público do Trabalho (MPT) tentava pôr ordem em outros entraves entre o Sindmetal, EAS e advogados de empresas que prestaram serviço ao empreendimento. Com um termo de ajustamento do MPT, as empresas foram desmobilizadas e parte da mão de obra foi absorvida pelo EAS. O problema é que os antigos prestadores dizem que ainda não receberam valores devidos e, por isso, não puderam pagar algumas recisões constratuais.
Sobre o pagamento de prestadores de serviços, o Estaleiro divulgou em nota que “possui total capacidade financeira e produtiva para honrar os seus compromissos” e que “alguns problemas pontuais foram registrados, mas já foram solucionados”. Os problema, continua o comunicado, “muitas vezes se devem a atrasos nos relatórios e medições que devem ser apresentados por nossos fornecedores e que são exigidos por nossos procedimentos internos, como em qualquer outra corporação”.

Da Folha de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *