Indústria de PE fecha com maior índice de contratação do Brasil

O nível de contratações na indústria brasileira sofreu leve decréscimo no mês de julho (-0,4% ) em relação a junho do mesmo ano. Pernambuco, assim como o Nordeste, também acompanhou o índice. O Estado, porém, no comparativo com julho de 2010, superou, e muito, a estabilidade do Brasil. Em âmbito nacional, a elevação das contratações no setor subiu 0,4%. Por aqui, o índice fechou nos 7%. Segundo a técnica de pesquisas industriais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em Pernambuco, Ismênia Blavatsky, o resultado do Estado parte de uma tendência de futuro.

“Só a área de fabricação de meios de transporte representou acréscimo de mais de 50% de novos postos de trabalho”, pontuou. “Alimentos e bebidas e o setor de refino de petróleo e combustíveis nucleares e álcool sofreram acréscimo de aproximadamente 10% cada”, completou. Ainda de acordo com Ismênia, o acumulado dos 12 meses foi estável, sendo alimentos e bebidas não tão expressivo. “Refino de petróleo e fabricação de transportes acompanharam o crescimen­to do Nordeste, marcando, respectivamente, crescimento de 3,5% e 5,1%”, concluiu.
Nos sete primeiros meses do ano, a indústria brasileira acumula expansão de 1,7%, e nos últimos 12 meses, de 2,7%. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (Pimes), do IBGE. Na comparação anual, as contratações superaram as demissões em 11 dos 18 setores investigados. Os destaques foram alimentos e bebidas (3,5%), meios de transporte (6,3%) e máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (6,3%). As principais quedas foram observadas em papel e gráfica (-9,6%), vestuário (-4,7%) e calçados e couro (-6,3%).

Da Folha de Pernambuco, por André Clemente e Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *