Em Olinda, frente de Renildo ameaça rachar

Do Jornal do Commércio

Depois do estremecimento na aliança com o PT em agosto último, o PCdoB de Olinda pode ver o palanque do prefeito Renildo Calheiros diminuir ainda mais em 2012. O PSB local aprovou, no último domingo, carta na qual membros da comissão executiva municipal expressam o desejo de lançar candidato próprio à sucessão do comunista no próximo ano. Sem o apoio das duas legendas, a candidatura do prefeito à reeleição corre risco de desidratar antes mesmo de ser oficializada.
A moção a favor de uma candidatura independente é resultado do congresso do PSB de Olinda, ao qual compareceram cerca de 50 filiados. No documento não constam nomes de pré-candidatos, porém o presidente da executiva municipal, Tales Vital, não faz mistério sobre quem são as apostas: o vereador e ex-secretário de Controle Urbano João Luiz Júnior e o presidente do Porto do Recife e ex-secretário de Juventude do Estado, Pedro Mendes.
Os movimentos do PSB olindense coadunam-se com o projeto de fortalecimento estadual e nacional de lançar o maior número possível de candidaturas próprias pelo País. “Acho que todo partido que quer chegar ao poder tem a intenção de lançar candidatos, é natural. Queremos disputar. Mas evidentemente que qualquer candidatura será objeto de negociação no próximo ano”, explana Vital.
A saída de João Luiz da Secretaria de Controle Urbano para assumir o mandato na Câmara de Olinda, este ano, foi o primeiro indício de que tenta gabaritar-se para concorrer à prefeitura. A intenção é reaproximar-se das bases que o elegeram como o terceiro mais votado em 2008. Conta a favor de Pedro Mendes o fato de já ter disputado a eleição para prefeito em 2004.
Porém, tanto o presidente quanto o secretário-geral do PSB em Olinda, João Figueiredo, minimizam os efeitos desse iminente descolamento em relação ao PCdoB na cidade. “Continuamos com a atual gestão. Temos dois secretários, Marcos Belfort (Controle Urbano) e Maurício Galvão (Turismo e Desenvolvimento Econômico)”, aponta Figueiredo.
Há um mês, Renildo enfrentou o primeiro sinal de racha na base. Manifesto assinado por 113 filiados ao PT rompeu com a principal corrente petista, a CNB, por discordar da condução das alianças e defender o fortalecimento da legenda. A dissidência na ala majoritária do PT fragilizou a relação com Renildo, eleito com apoio da CNB e do PSB. Uma das líderes do movimento, a deputada Teresa Leitão, já trabalha como pré-candidata a prefeita de Olinda.

Fonte: Blog do Jamildo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *