Lixo Hospitalar: Manchas em lençóis são de sangue

Fontes ligadas ao Instituto de Criminalística (IC) informaram ontem à Folha de Pernambuco que as manchas encontradas nos lençóis apreendidos pela Apevisa e encaminhados para a perícia são mesmo de sangue. Os tecidos teriam sido submetidos a um exame com uma substância química conhecida como Luminol, que reage em contato com o sangue humano. Ainda de acordo com a fonte, o Governo de Pernambuco teria solicitado uma compra extra da substância. O exa­me apresentou resultado instantâneo e a preocupação do IC agora, seria com os tipos de bactérias encontradas. Para isso, as amostras devem ser encaminhadas ao laboratório nacional.

Na tarde de ontem, o Ibama multou em R$ 6 milhões a Império do Forro de Bolso, empresa têxtil responsável por importar toneladas de lixo hospitalar dos Estados Unidos. A com­panhia, dona do navio, que trouxe os dois contêineres apreendidos no Porto de Suape nos dias 11 e 13 de outubro, a Hamburg Süd será multada em R$ 2 milhões.

O órgão ambiental aplicou multa de R$ 2 milhões a cada um dos três estabelecimentos da Império do Forro de Bolso, interditados. Em nota, o órgão defende que os dois contêineres, com cerca de 46 toneladas de tecido com a logomarca de hospitais norte-americanos devem ser devolvidos aos Estados Unidos. Já as cerca de 25 toneladas encontradas na loja e nos galpões da Império do Forro não podem, segundo o Ibama, serem devolvidas e devem ser incineradas por uma empresa especializada.

Da Folha de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *