Oposição promete ‘plantão’ para pedir saída de Lupi

Da Agência Estado
O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, voltou à linha de tiro e já se fala nos bastidores do Planalto na antecipação da saída dele da Pasta. Segundo reportagem da revista Veja, ele fez uma viagem oficial em um jatinho alugado pelo dono de uma ONG que tem contratos suspeitos com sua Pasta, e ainda mentiu à Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara, quando negou conhecer Adair Meira – o proprietário da ONG com o qual viajara -, o que pode antecipar a demissão prevista para a reforma ministerial de janeiro.
“A operação-abafa do governo, que tentou blindar o ministro em seu depoimento aos deputados, na quinta-feira, não deu certo porque ele não saiu do foco”, disse o líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), ao anunciar um plantão da oposição a partir do feriado desta terça-feira (15) em Brasília, para pedir a saída de Lupi. “Ninguém pode se manter no ministério à custa de uma declaração de amor à presidente Dilma, porque o governo é dela e ela será cobrada”, emenda ACM.
Na Comissão de Fiscalização, o deputado Mendonça Filho (DEM-PE) perguntou a Lupi se ele havia recebido algum alerta da Casa Civil sobre problemas com a prestação de contas de ONGs. Ele também quis saber se o ministro havia usado um jatinho pertencente a um dos dirigentes da Fundação Pró-Cerrado, Adair Meira – o que o parlamentar considerou um fato grave.
Lupi informou aos deputados que desconhece o dirigente da entidade e que nunca usou o jatinho dele. “Não tenho relação pessoal com o seu Adair. Não sei onde ele mora e nunca andei em avião dele. Já andei em aviões que o PDT alugou para eventos da legenda. Todos são contabilizados e prestados conta.”
Giovanni Queiroz, líder do PDT na Câmara, disse: “Nada vai deixar de ser apurado. Que se apure todas as denúncias, infundadas ou não. Não pode ficar nada às escuras”. Queiroz disse que conversou hoje com Lupi por telefone, que confirmou ter viajado em jatinho no interior do Maranhão em 2009, mas o líder disse que o ministro não deu informações se conhecia Adair Meira ou não.
O Planalto, por sua vez, tentou, mais uma vez, passar tranquilidade depois de uma semana tentando abafar as reais dimensões das denúncias envolvendo o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, bem como o impacto das declarações do ministro de que só sairia a bala. Procurada pelo Estado em razão das denúncias publicadas na revista Veja, a assessoria do Planalto limitou-se a dizer que “o assunto não estava sendo tratado” no âmbito na Presidência da República.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *