Vereadores de Escada rejeitam projeto que criava a Secretaria Executiva de Meio Ambiente


Na sessão ordinária da última terça-feira 19/09 esteve na ordem do dia da Câmara Municipal da Escada, um projeto de autoria do poder executivo que criava a Secretaria Executiva de Meio Ambiente. O projeto que segundo o governo municipal criaria condições para captação de recursos para o desenvolvimento sustentável através da secretaria foi rejeitado.  Votaram pela não aprovação da proposta os vereadores,Sandra Valéria (PDT), Valdênia de Cassia (PT do B), Dêda Móveis (PDT), Rogério (PSD), Antônio Rufino (PTB), Gil Sat (PMB) e Eduardo do Arretado (PP).

Além deste projeto, outros foram pedidos vista pelos vereadores. A exemplo do PL 009/2017 que segundo o governo municipal valoriza os artistas de Escada onde com a obrigatoriamente alocar no mínimo 30% (trinta por cento) do recurso público recebido, para contratação artistas locais em apresentações ou exposições nos eventos da cidade. A proposta foi retirada de pauta após pedido de vista feito pelo Vereador Eduardo do Arretado (PP), “precisamos verificar e analisar com mais calma o projeto para assim podemos aprova-lo, para não prejudicar nossos artistas”, falou o vereador.

Outro projeto que foi retirado de votação com pedido de vista, foi o que altera o a Lei nº 2175 que vincula o Departamento Municipal de Transportes e Trânsito ao Comando da Guarda Civil Municipal, “precisamos conversar com o Comandante Pedro Jorge, para mais esclarecimentos sobre essa alteração na Lei”, falou o vereador Antonio Rufino, autor do visto.

Mesmo  com a reprovação e dos pedidos de vista, foram aprovadas outras propostas, como o Projeto de Lei  012/2017 que dispõe sobre a desafetação da Área A-1 e Área Q do Distrito Industrial, que será utilizada pelo Poder Executivo no Programa de Regularização Fundiária. Outro Projeto Lei aprovado foi o  017/2017, de autoria do vereador Elias Ribeiro, que inclui no Calendário de Eventos Oficiais do Município de Escada, a festa da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, que fica localizada no bairro de Jaguaribe, “A criação da paróquia Sagrado Coração de Jesus diminui a evasão de católicos que deixam a Igreja por falta de oportunidade de ter preto da sua residência um templo católico”, falou o vereador Elias Ribeiro.

RETALIAÇÃO AO GOVERNO:  Segundo aliados do governo Lucrécio Gomes (PSB), após a reprovação do projeto que impedia a reeleição para o cargo de presidente da Câmara o grupo formado pelos sete vereadores, Sandra Valéria (PDT), Valdênia de Cassia (PT do B), Dêda Móveis (PDT), Rogério (PSD), Antônio Rufino (PTB), Gil Sat (PMB) e Eduardo do Arretado (PP), começou a adotar a postura de rejeitar os projetos de autoria do governo como forma de retaliar, já que a ideia não tinha o apoio do prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *