Hipnose e suas Origens

Você já deve ter ouvido falar sobre hipnose, ou pelo menos visto alguém ser hipnotizado na TV/YouTube. As pessoas que passam pelo processo de transe hipnótico parecem estar dormindo e simplesmente aceitam as sugestões do hipnotizador, como demonstrado no vídeo abaixo do IACHC (Instituto Antônio Costa de Hipnose Clínica), fundado pelo psicólogo e hipnoterapeuta Fernando Costa:

Na verdade, não é bem isso que acontece. Os hipnotizados entram num estado alterado de consciência em que aceitam sugestões facilmente, mas o tempo todo estão conscientes, ouvindo tudo o que se passa ao redor, em condição de profundo relaxamento.

O que pouco se sabe é que a hipnose não é algo novo e muito menos místico. Ela pode ser utilizada em diversas áreas, principalmente nas relacionadas à saúde física e mental (psicanálise, psicologia, medicina, nutrição, esportes, etc.) para que as pessoas alcancem objetivos de forma mais rápida e eficiente.

Existem registros de sua prática desde o Egito Antigo, há 7000 anos antes de Cristo. Um manuscrito, que hoje se encontra no Museu Britânico, indica que os egípcios tratavam a dor através de técnicas aliadas à sugestão verbal.

Outros povos, como os hindus, gregos e africanos, também já praticavam a hipnose há milhares de anos, em cerimônias religiosas e curativas. Alguns relatos podem até mesmo ser encontrados em textos bíblicos.

Assim como nas escrituras sagradas, na Idade Média aconteciam curas supostamente  milagrosas através da imposição das mãos.

Entretanto, só a partir do século XVIII essa técnica começou realmente a ser estudada de forma mais aprofundada. Franz-Anton Mesmer, médico que viveu na Europa entre 1734 e 1815, acreditava que o ser humano possuía uma energia magnética semelhante a dos ímãs, que poderia ser usada para curar doenças. Por incrível que pareça, Mesmer conseguiu curar inúmeras pessoas, levando-as ao estado de transe pelo uso do magnetismo, do olhar e da fala.

No século seguinte, um outro médico se destacou bastante pelo desenvolvimento das técnicas de hipnose. Seu nome era James Eisdale, escocês que não só realizava curas na cidade de Calcutá, na Índia, como também pequenas cirurgias e amputações sem nenhuma dor, em seus pacientes.

A França também foi laboratório de estudo do tema, e dentre as personalidades que se destacaram nesse cenário, estava Jean-Martin Charcot. Fundador da Escola de Hipnose de Paris, ele teve como aluno, ninguém menos que Sigmund Freud, o “pai da Psicanálise”. Em sua instituição, Charcot analisou casos de pessoas histéricas e fez demonstrações da remoção dos sintomas desse tipo de transtorno mental, em uma jovem mulher chamada Augustine.

Impressionado pelos métodos de Charcot, Freud os estudou e adaptou para serem utilizados como ferramenta da Psicanálise, no tratamento de males psíquicos. Eessa nova ciência tem muitas características herdadas da hipnose: a ambientação relaxante do setting (consultório), a figura de autoridade que o analista deve desempenhar, o método da Livre Associação de Ideias, no qual o paciente imerge num transe leve através de sua própria fala, estimulando um processo de regressão de memória que pode ser espontâneo ou guiado pelo profissional.

Podemos observar, que ainda hoje o assunto da hipnose é cercado de muitos tabus, dúvidas e encarado apenas como entretenimento. Mas aqueles que realmente se interessam e buscam levá-lo a sério, percebem que se trata de uma técnica promotora do bem-estar e que deve estar sempre aliada à responsabilidade.

O potencial que essa ferramenta ainda tem pra crescer é capaz de proporcionar aos que passam pela experiência benefícios inimagináveis, relativos à saúde e performance. Caso tenha ficado interessado, existem duas instituições que recomendo e oferecem cursos e sessões de hipnoterapia:

Gostou do texto de hoje? Deixe seu comentário abaixo ou entre em contato através do e-mail: nepozianopsic@gmail.com

Também estou no Instagram @nepozianopsic

Até semana que vem!

Um comentário em “Hipnose e suas Origens

  • 13 de outubro de 2018 em 09:15
    Permalink

    O IACHC-instituto Antônio Costa de Hipnose Clínica é dirigido pelo Psicologo é Hipnólogo Fernando André Costa. Profissional da mais alta competência.
    Os cursos de Hipnose por ele ministrados são de altíssimo nível é fácil compreensão. Recomendo com entusiasmo. Sou ex aluno.
    Ernani Bérgamo Júnior

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *