SER FIEL A SI MESMO.

Precisamos ser fiéis a tantas coisas, no relacionamento afetivo, fiéis aos amigos, fiéis à firma onde trabalhamos, fiéis a princípios éticos, fiéis a uma instituição religiosa, ou a um time de futebol, fiéis a uma determinada marca, a uma determinada disciplina, a um partido político… Quantas e quantas fidelidades. De forma alguma julgo o presente por essas escolhas, mas destaco uma postura que não é nem um pouco divulgada: fidelidade a si mesmo.

Fidelidade a si mesmo é uma postura que muitas vezes exige coragem. Significa perceber qual a minha necessidade ou anseio a cada momento e dar um direcionamento, na vida prática, para isso. Parece simples.

Por exemplo,  em relacionamentos afetivos, às vezes um determinado namoro já há algum tempo não mais proporciona alegria, ao contrário, proporciona tristezas e dor de cabeça, a pelo menos uma das partes. E essa pessoa muitas vezes, por não ser fiel a si mesma, não detecta o problema e vai arrastando aquela situação. A pessoa prefere ser fiel a um princípio ou a um sonho do que a si mesma.

Como citado antes, ser fiel a si mesmo exige sensibilidade e coragem.

Sensibilidade porque é necessário perceber. Afinal, o que sinto diante de uma determinada ideia ou de um determinado assunto? Sinto-me animado? Desanimado? Apático? Inspirado? Enfim, é exatamente entender que muitas vezes as respostas para o direcionamento para as escolhas da vida estão mais evidentes do que parece. Coragem também. Preciso enfrentar muitas vezes o mundo de conceitos, de certos e errados que existem em mim. Essas escolhas muitas vezes também implicam em não ser compreendida pelas pessoas a quem mais amamos

Ser fiel a si mesmo é algo que não somos estimulados. Entretanto, cada vez mais questões de saúde aparecem, tais como doenças orgânicas e dificuldades psíquicas, que levam as pessoas às clínicas psicanalíticas ou à busca de distrações diversas, a fim de fugir desse conflito cujo palco é o próprio corpo.

Você pode não perceber na maioria das vezes, mas a pessoa que mais te cobra na vida pode ser você mesmo. Levamos vidas cheias de obrigações, limites e perspectivas. Não podemos derrubar a peteca no emprego. Deixar os amigos sem resposta no WhatsApp? Que tal dar uma colher de chá de vez em quando? Não se trata de ser complacente e aceitar passivamente  tudo que nos acontece. O que propomos neste post é um exercício de aceitação.

Precisamos entender que não é possível controlar tudo e que, quando alguma coisa não correr da maneira que queremos, é melhor aprender com aquilo. É muito bom ter vontade de ser uma pessoa melhor e fazer as coisas direito, mas nem sempre tudo sai da maneira como planejamos. Calma. Vai ficar tudo bem.

Mas também vejo um lado sombrio em ser um projeto aberto: o de nunca ter certeza, sobretudo de antemão, de ter tomado a atitude certa, de ter feito a escolha mais apropriada – aquela em que não me traio.

Levei muito tempo para entender que minha exclusividade não está simplesmente em mim, na minha cor de olhos ou nos meus talentos mais especiais. Ela está sempre  adiante de mim como um desafio, como um destino a que tenho de chegar, como uma história que tem de ser vivida. Sou exclusividade – você é exclusividade –  apenas quando você puder afirmar que a história que veio realizar só você – e ninguém mais – poderá tê-la vivido.

Quando percebo que uma atitude qualquer vai afetar o meu dia, sinto medo, angústia, suo frio, tenho tontura. Aí, o desejo de pegar carona na preferência dos outros ou no estilo de vida deles é grande, mas minha alma grita que não vai dar certo e me lembra  que o meu molde foi quebrado, que ele é especial.

Hoje não é  ser só mais  diferente dos outros, mas se faço alguma diferença nos outros.

Se eu tivesse nascido pronta, não teria conserto.

E VOCÊ É FIEL A SI MESMO?

 

Até a próxima.

Precisa de ajuda? Entre em contato.

Ana Gonçalo.

Contatos para consultas: (81) 993570145

Pelo e-mail  anacgcp@gmail.com

Um comentário em “SER FIEL A SI MESMO.

  • 31 de janeiro de 2019 em 08:53
    Permalink

    Eu como Designer, adorei seu texto, me identifiquei em algumas partes do texto em que falava sobre cobrança si próprio. A leitura foi sensacional, parabéns!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *