Economia

[Economia][bsummary]

Escada

[Escada][bigposts]

Mata Sul

[Mata Sul][twocolumns]

Educação

[Educação][bsummary]

Janeiro Branco e a importância de falar sobre saúde mental




Depressão, ansiedade, violência, uso de drogas, transtornos compulsivos, suicídios e intolerâncias, dentre tantos outros problemas, revelam uma sociedade mentalmente doente.

Dados da Pesquisa Nacional de Saúde e Bem-Estar, realizada no  Brasil pela Kantar Health, apontam que 34% dos entrevistados afirmaram sofrer de alguma condição psiquiátrica, ainda que apenas 21% deles tenha sido diagnosticado.

Uma consequência disso, da qual pouco se fala, é que a falta de saúde mental  sobrecarrega os sistemas de saúde.

Precisamos considerar que muitos dos sintomas físicos são originados na mente devido a conflitos internos (processo de chamado de somatização).

A partir de então, observamos que nossos hospitais estão cheios de pessoas que desconhecem a qualidade de vida que poderiam ter se priorizassem os tratamentos psicológicos.

Como exemplo, podemos citar pacientes com depressão que podem desenvolver outras queixas médicas como: insônia e dores.

De forma contraditória aos fatos, ainda vivemos numa cultura onde o tema saúde mental é um grande tabu.

Num passado não muito distante, pessoas que eram diagnosticadas como “loucas” eram isoladas nos manicômios, completamente excluídas dos grupos de convívio aos quais pertenciam.

Algumas coisas mudaram de lá para cá e a quantidade de hospícios reduziu drasticamente, sendo trocados por tratamentos mais inclusivos de integração à família.

Entretanto, ainda existe um certo preconceito e inferiorização de atividades como a do psicanalista, psicólogo e terapeuta, uma vez que suas imagens estão sempre associadas a “profissionais que tratam loucos”.

Justamente com o intuito de quebrar esse preconceito, a campanha do Janeiro Branco foi criada em 2014, no estado de Minas Gerais.

A cidade de Uberlândia foi a primeira a receber e disseminar eventos de conscientização acerca da necessidade de abordar o tema do equilíbrio psicológico/emocional.

Hoje, a campanha já é seguida em todo o Brasil e chama a atenção para o bem-estar do indivíduo e da sociedade como um todo, através de discussões, reflexões e eventos divulgados massivamente nas mídias e instituições.

Mas você sabe o porquê da escolha do mês de janeiro e da cor branca?

O mês de janeiro tem a ver com a sensação coletiva de um novo começo, novos planos e estilo de vida.

Além disso, muitas pessoas passam pela melancolia de fim de ano e estão fragilizadas, tornando o momento ideal para buscar ajuda profissional e começar a cuidar da mente.

Já a cor branca representa um quadro em branco, uma nova fase que está para começar na qual somos convidados a cuidar da nossa saúde mental, sem tabus e preconceitos.

Devemos promover saúde mental em cada um de nós e assim, conseguiremos uma sociedade mais saudável e consequentemente mais segura e agradável.

Porque há sofrimentos que podem ser prevenidos. Dores que podem ser evitadas. Violências que podem ser impedidas, cuidadas ou reparadas. Exemplos que podem ser partilhados. Ensinamentos que podem ser difundidos para uma coletividade mais saudável e bem resolvida em termos emocionais.

Não tenha vergonha! Busque ajuda, divulgue essas ideias e contribua com a campanha.

Gostou do texto de hoje? Deixe seu comentário no post ou fale comigo através dos contatos abaixo.
E-mail: nepozianopsic@gmail.com
Instagram: @nepozianopsic
Whatsapp: (81) 98825-3303

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coluna - A Voz do IHAAGE

[A Voz do IHAAGE][twocolumns]

TV Escada News