Economia

[Economia][bsummary]

Escada

[Escada][bigposts]

Mata Sul

[Mata Sul][twocolumns]

Educação

[Educação][bsummary]

PM diz que recebeu R$ 16,5 mil de Flávio Bolsonaro "em dinheiro" e que valor pode ser carregado "no bolso"

Dono de uma empresa, PM é investigado no caso Flavio Bolsonaro.
Foto Fabio Rossi / Agencia O Globo Foto: Fábio Rossi / Agência O Globo

O sargento Diego Sodré de Castro Ambrósio, suspeito de envolvimento no esquema de rachadinha no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro na Alerj, disse ao GLOBO que após pagar um boleto de R$ 16,5 mil para a mulher do senador foi ressarcido por Flávio “em dinheiro”.

— O meu extrato naquele dia (do pagamento do boleto), eu estava devendo uns R$ 5 mil ao banco, no limite. Quando paguei a conta de R$ 16,5 mil, passei a dever R$ 21 e como eu ressarci essa conta? Tirei da conta da minha empresa e botei na conta pessoal, entendeu? Tá lá o pagamento e no outro dia a transferência de 21 mil da conta da minha empresa para a minha conta e zerou. A única maneira, eu vi, eu recebi isso em dinheiro. Entendeu? Dele (Flávio) — disse Ambrósio, que afirmou que o episódio aconteceu durante um churrasco.

O policial disse, porém, que não se recorda se tudo foi pago de uma vez ou em parcelas. Além disso, ele considera que o valor de R$ 16,5 mil é algo “que você carrega no bolso”.
— Não vou te precisar se ele me pagou R$ 16 mil no outro dia, se ele me deu R$ 5 mil em um dia, R$ 3 no outro, entendeu? Aí eu não tenho como lembrar — completou Ambrósio. — A gente está falando de R$ 16 mil, não de R$ 1,6 milhão. É um dinheiro que você carrega no bolso — disse ele, que deu explicação semelhante ao colunista Guilherme Amado, da Época.

O GLOBO revelou nesta terça-feira que o Ministério Público Federal (MPF) encontrou “fortes indícios da prática de crime de lavagem de dinheiro” envolvendo Flávio Bolsonaro e, ainda, nas contas correntes de Ambrósio movimentações “de quantias em espécie incompatíveis com o cargo que ocupa”. Os dados constam de uma investigação aberta a partir de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sobre transações financeiras do militar.

Fonte: O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coluna - A Voz do IHAAGE

[A Voz do IHAAGE][twocolumns]

TV Escada News